Luciana Israel[Entrevistando Expatriados] Luciana, médica, casada e com 2 filhos. Em 2002, mudaram-se para Barcelona, onde viveram por quase 5 anos, o marido trabalhando pela Europa como consultor de negócios e ela cursando uma especialização em endoscopia e ecoendoscopia.
Em 2006 se mudaram para Israel, onde estao ate hoje, devido ao MBA executivo que o marido esta terminando este ano, enquanto ela trabalha em um Hospital de Tel Aviv.
Neste momento estão planejando a volta ao Brasil, com muito receio pelo choque cultural reverso que terão, mas muito ansiosos pela volta depois de tanto tempo!

– Nome:
Luciana Moura Sampaio

– Onde nasceu e cresceu?
Nasci em Santos onde morei ate os 23 anos, terminando a faculdade de Medicina em 1998, quando mudei para Botucatu para fazer a residência em Gastroenterologia e endoscopia. Assim que terminei a residência, em 2002, nos mudamos (casada e com um filho de quase 2 anos) para Barcelona, onde começa a minha vida de expatriada… Morei em Barcelona por quase 5 anos e há 1 ano e meio estamos vivendo em Israel.

– Em que país e cidade você mora?
Estamos morando em Reut, Israel.
Tel-Aviv, Israel

– Você mora sozinho ou com sua família?
Somos um casal com dois filhos, uma de 4 anos e um de 7.

– Há quanto tempo você reside nesse local?
Há um ano e meio.

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?
Sim, em Barcelona, BCN – Espanha.

– Qual sua idade?
33 anos.

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Quando terminei a residência em Gastroenterologia, meu marido recebeu uma oferta de trabalho na Europa. Eu teria que escolher algum lugar de lá para me fixar com a família, já que ele viajaria muito.
Escolhi Barcelona, pelo estagio que eles têm no H Clinico, que me interessou bastante e também pensando que seria mais fácil adaptarmos, devido á língua, o clima e a cultura serem mais semelhantes ao nosso, do que nos paises do Norte da Europa.
Enviei meu CV para a pessoa encarregada, depois de indicada por um colega medico que estava por lá, e eles me aceitaram para o estagio, que começaria em 1 ano. E assim começa a grande aventura…

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
Todo processo deste tipo é burocrático, mas não impossível, temos que ter paciência e ser perseverantes.
Marquei uma entrevista no consulado da Espanha, setor de vistos, para pedir um visto para Espanha, já que meu marido não trabalhava lá e não pude conseguir uma extensão familiar de seu visto.
Descobri que a forma mais fácil de conseguir um visto, NO MEU CASO, seria de estudante e como eu queria chegar algum tempo antes do meu estagio no hospital começar, a forma que encontrei foi pagar um curso de língua espanhola intensiva, na Universidade de Barcelona, (muito bom por sinal). Com o recibo e alguns outros documentos, mais uma comprovação de que poderíamos nos sustentar por certo tempo por lá, sem ter de trabalhar, conseguimos o visto por um ano.
Apos este período tive que renová-lo por mais um ano, com o comprovante do estagio no H Clinico, apesar da fila enorme na “extranjeria”, em BCN, não tive problemas na renovação.
E por fim, consegui a minha nacionalidade Portuguesa que estava em andamento desde o inicio, mas por alguns contratempos, escolhas erradas de advogados, não havia saído. Agora com o passaporte Europeu, não precisamos mais de visto para nenhum país da Europa. Sem duvida, essa é a melhor opção para quem tem antecedentes Europeus. No meu caso, meus avos maternos, que nasceram em Portugal.
Para mais informações sobre vistos para Espanha, consultar o site:
Consulado General de España em São Paulo
E BOA SORTE!!!
Quanto a Israel, a estória foi mais fácil, já que temos a cidadania israelense, devido à família de meu marido. Assim, como todos os direitos de cidadãos israelenses.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
O Brasil, através do INAMPS, mantém com alguns países, entre eles a Espanha, um convênio de atendimento a segurados.
Este convênio dá direito ao atendimento nos hospitais e postos de saúde da rede pública espanhola.
É aconselhável ao segurado do INAMPS, levar consigo o certificado que dará direito a este atendimento.
Caso queira optar por seguros de saúde privados, tudo bem, mas não custa nada requerer o certificado do convênio, que é emitido gratuitamente e sem muitas dificuldades burocráticas.
Os documentos necessários são (é melhor confirmar primeiro por telefone, porque em alguns estados a relação é diferente):
– carteira de identidade;
– passaporte;
– passagem aérea;
– carteira de trabalho;
– comprovante de residência;
– últimos comprovantes de contribuição da previdência:
– para empregados: contracheques e Carteira de trabalho Assinada;
– para autônomos: GPS (12 últimas contribuições);
– para empregador: GPS (12 últimas contribuições), contrato social e Pró-labore.
– para dependentes: GPS (12 últimas contribuições), contrato social e Pró-labore.
– cônjuges: Certidão de Casamento e Passaporte;
– filhos: Certidão de Nascimento/Carteira de Identidade, Passaporte;
– Companheiro (a): Deverá estar inscrito no INSS/ declarado na Carteira de Trabalho, Passaporte.

Em São Paulo:
Gerência Estadual de São Paulo – Setor de Acordos e Convênios Internacionais
Avenida 9 de Julho, 611, 2 andar, sala 202.
(011) 3291-8973
Até 17 horas.

Em Belo Horizonte:
Convênios Internacionais – Ministério da Saúde
Rua Espírito Santo, 500 – 11º andar – sala 1109
Tel.: 248.2807
Responsável: Deusete
de 08:00 às 12:00 e de 14:00 às 17:00

Em Porto Alegre:
INSS- Setor de Acordos Internacionais.
Rua Borges de Medeiros, 536 9o andar sala 902
Centro – Porto Alegre

Em Brasília:
Ministério da Saúde
Diretoria Adjunta
Departamento Nacional de Auditoria do SUS – Apoio
Av. W-3 Norte Quadra 511 Bl. C Ed. Bittar IV, 5º andar
Falar com: Monique ou Rômulo, fone (61) 448-8372
70750-920 – Brasília/DF

No Rio de Janeiro:
Serviço de Convênios e Acordos
Rua México, 128 térreo, Centro
Tel. 2240-5868
Horário: 08:00 – 11:55 e 13:00 – 16:00

Em Curitiba:
Seção de Convênios e Acordos
Núcleo do Ministério da Saúde – Serviço de
Auditoria – Rua Candido Lopes, 208 5º. andar sala 503 – fone 41-322-3290 –
Curitiba PR, CEP 80020 – 060

Em Florianópolis:
Secção de Convênios e Acordos
Pça Pereira Oliviera, 13, sala 403 – Centro/Florianópolis – SC – CEP 88010-540
Fone: (048)-2167197 FAX (048) 2243378

Quem quiser conhecer o Acordo na íntegra pode conseguir em: acordo

A base legal para o Acordo Brasil-Espanha está descrita a seguir:

a) Decreto Legislativo n. 68, de 2.10.70;
b) Decreto n. 68.503, de 14.04.71;
c) Decreto n. 1.457, de 7.5.91;
d) Decreto Legislativo n. 63, de 1981;
e) Decreto n. 86.828, de 8.01.1982;
f) Decreto Legislativo n. 123, de 2.10.95;
g) Decreto n. 1.689, de 7.11.95.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Agora estou trabalhando com salário de “fellow”, no Hospital Ychilov em Tel Aviv. Fiz uma entrevista com eles e enviei toda minha documentação traduzida e Juramentada para o ministério de educação e consegui uma licença provisória, com a qual exerço a Medicina por 1 ano. Ainda não sei qual será o próximo passo para torná-la permanente.
Toda essa tramitação de convalidação de Diplomas é muito Burocrática e individual. A avaliação é feita caso a caso, pelo menos aqui em Israel e mais uma vez a persistência e paciência são imprescindíveis!

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?
Continuo sempre na minha área.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Sem duvida nenhuma, é muito importante aprender a língua local. As pessoas em geral aqui em Israel sentem um enorme prazer em falar Inglês, mas apreciam o seu esforço em aprender o Hebraico, é claro.
Já em Barcelona, eles usam muito o Catalão, mas aceitam bem o espanhol, mas não tem a mesma paciência em tentar te entender por que voce é estrangeiro. Entender bem o Catalão é essencial, falar e escrever, no meu caso foi opcional, me virei muito bem com o espanhol tanto em meu ambiente de trabalho, como fora dele.
Telhado do La Pedrera - Barcelona

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
Aqui em Israel, por mais incrível que pareça, mesmo eu sendo Católica, fui muito bem recebida e fiz amigos mais facilmente a principio do que em Barcelona. As pessoas daqui adoram o Brasil, chegaram ate a me aplaudir em um supermercado quando disse que eu era de lá… Eles amam tudo relacionado ao Brasil, conhecem, muitos deles fizeram viagens longas ao Brasil (costumam viajar por 1 ano de mochila após o exercito e muitos deles escolhem América do Sul) e conhecem mais lugares que eu!!
Já em Barcelona, não tive a mesma receptividade, as pessoas estão mais voltadas para suas próprias vidas e me custou mais fazer amizades, de inicio, formando-se as colônias de amigos brasileiros…
Com o tempo em contrapartida fizemos bons e verdadeiros amigos, aqueles que até hoje nos escrevem e moram dentro do nosso coração…

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Sim, temos dois, o Pedro tinha menos de dois anos quando nos mudamos para BCN, para ele, essa época foi bem difícil, pois no Brasil, somos MIMADOS, com tanto afeto e serviços especiais, facilidades.
Meu filho saiu de uma escolinha com meia dúzia de crianças, e 2 professoras maravilhosas e carinhosas, para enfrentar a vida em uma escola grande em BCN, apesar de boa e internacional, onde falavam apenas em inglês, com cerca de 20 aluninhos de 1 e meio a 2 anos, com 1 professora e 1 ajudante… Acho que foi um trauma… passou apertado o Pedrinho…mas logo estava falando inglês super bem e nunca teve nenhuma dificuldade com línguas.
Quando nos mudamos para Israel, impressionante, em 2 meses falava fluentemente o Hebraico, sua professora nos comentou que ele tinha mais vocabulário que as crianças nativas com a mesma idade. Acho que isso se deve ao fato de ser muito comunicativo e extrovertido, sempre conversando com todos na rua, principalmente com pessoas mais velhas, contando nossas aventuras a todos que conhece…. um perigo, hehehe!!
A Lorena nasceu em Barcelona, para ela não houve mudanças territoriais, mas a adaptação na escola se torna difícil, pois em casa somos um pedacinho de Brasil que esta expatriado e falamos apenas em português e continuamos com a cultura e costumes de nosso pais de origem, marcadamente distinto do ambiente escolar local. Somos estrangeiros e sempre o seremos… Mas ela também se adaptou rápido e não teve muitos problemas com o Catalão, sendo um pouco difícil para ela quando a colocamos na mesma escola do Pedro, Inglesa, mas a adaptação para crianças é rápida, são como esponjas, absorvendo todo o conhecimento que lhes é ensinado com uma avidez enorme.

– Sente saudades da família no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
MUUUUUIIITOOOOOO!!!!!
Esse é o maior problema, nenhum bom amigo supre a sensação de bem estar e carinho da nossa família. E nenhum lugar no mundo tem Pizza e Churrasco melhores do que no Brasil!!!
Sempre que vou ao Brasil, costumo encher a mala com farinha de mandioca, carnes para feijoada (aquelas fechadinhas a vácuo), lingüiça calabresa (coloco todas dentro da mala que despachamos no avião, e como está fechado a vácuo, não tem problema, não estragam nem deixam cheiro…) polvilho azedo para fazer pão de queijo, goiabada, esmaltes de unha e outros acessórios, sapatos e artigos de couro, já que são bem mais baratos e com boa qualidade ai no Brasil.
Também algumas vezes já trouxe biquínis e roupas de ginástica, havaianas, bijuterias feitas com sementes do Brasil. Já tentei trazer para vender, mas sou péssima comerciante… acabei dando de presentes quando surgem oportunidades…e as pessoas adoram!

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
Em BCN costumávamos viajar bastante, acampar, no verão em cidades de praias e no inverno íamos esquiar.
Barcelona é um lugar privilegiado, a cerca de 1 hora se pode estar tanto em praias maravilhosas, como na montanha, ou nos Pirineus, onde encontramos muito boas estações de esquis! Ai que saudades…
Em alguns feriados prolongados, íamos a Franca ou quando a saudade do Brasil apertava muito, dávamos um pulinho em Portugal, onde nos sentíamos mais próximos a cultura brasileira, com direito ate a uma boa picanha!
Aproveitei para aperfeiçoar meu inglês em Londres onde estive por uns 40 dias fazendo um curso intensivo.
Aqui em Israel, sempre fazemos passeios pelo país, de um dia geralmente, aos sábados. Aqui cada pedra tem uma historia, já conhecemos lugares fascinantes e únicos, vale muito a pena conhecer. Mar morto, Massada, Czarea, etc.

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Sempre tenho o sonho de voltar a viver no Brasil, com a ilusão de que será fantástico, mas tendo em conta que quando estamos longe apagamos todos os problemas deste nosso país da memória e só guardamos as lembranças agradáveis…
Tenho receio de voltar, mas acho que temos que tentar, já que a saudade esta muito forte!!

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imóveis é algo comum nesse país?
Aqui em Israel os imóveis são absurdamente caros e não vale a pena comprar, principalmente porque sabemos que não vamos estar aqui por muito tempo. O mesmo ocorreu em Barcelona.

– Qual o custo de vida?
O custo de vida é bem caro, tanto aqui em Israel, quanto em Barcelona. Já o valor que uma família precisa para viver é algo muito pessoal, difícil de estimar. O bom desses paises é que há opções de escolas publicas e saúde com qualidade e isso tem um grande peso no orçamento familiar. Mas alugueis, alimentação e serviços prestados são extremamente mais caros que em uma cidade no interior de SP, de onde venho, por exemplo.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
*** Na Espanha:
Vantagens: Menos violência e mais igualdade social, riqueza cultural.
Desvantagens: Saudades, alto custo de vida, menos facilidades, principalmente para famílias com filhos e que não tem outros parentes por perto.
*** Em Israel:
Alem das acima descritas, com exceção da violência, que também existe, apesar de uma forma diferente, mas não esta tão mesclada no nosso cotidiano como no Brasil.
Encontramos também com uma diferença cultural e de linguagem extremamente mais intensa (o hebraico não se assemelha a nenhuma outra língua), principalmente em nosso caso, onde nunca estudamos em colégios judaicos ou participamos da comunidade judaica. E mais oculta do que eu esperava esta a diferença de religião, onde não sinto presente em meu dia a dia, mas se tocamos no assunto, vemos que sim existe…

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
Como para todos os outros paises, temos que estar preparados para aceitar as diferenças, estar bem abertos para uma das mais valiosas experiências de vida, e como tudo que è valioso tem seu preço, neste caso a dificuldade, q pode ser superada com boa vontade e perseverança.

– Você gostaria de recomendar alguma web site ou blog relacionado a esse país?
*** Na Espanha:
Esse site, transportes metropolitanos de Barcelona, é ótimo mesmo para as pessoas que vão visitar Barcelona, voce pode ir a qualquer lugar com informações detalhadas de como chegar, apenas digitando o endereço de onde esta e de onde quer chegar.
Outros sites interessantes estão colocados junto às perguntas a eles pertinentes.

*** Em Israel:
Embaixada Brasileira em Israel

Desejo a todos os que estão ou pretendem estar iniciando uma aventura em busca de novos horizontes e experiências, muito SUCESSO e que voces encontrem exatamente o que estão buscando.

Participe… deixe seu comentario!

Leia todas as entrevistas do Entrevistando Expatriado

News Reporter
Criou o Bate Papo Pelo Mundo (também conhecido como Entrevistando Expatriados) em 2008 e adora conversar sobre o assunto vida no exterior. Atualmente mora no Canadá, mas também já chamou de casa países como a Holanda, os Estados Unidos e a Australia. Ela também escreve nos blogs Casal Mikix e Viajoteca, e atua como consultora de intercâmbio para o Canadá, junto a Mikix Intercâmbio.

19 thoughts on “Brasil, Espanha, Israel

  1. Luciana,

    Amei a sua entrevista, parabéns.
    Morei na Alemanha durante 2 anos, voltei a morar no Brasil pq a saudade da familia/amigos/Brasil era muito grande.
    Chegando ao Brasil abri uma loja feminina(www.almadamodamulher.com).
    Desejo a você a a sua familia toda felicidade.

    Um grande abraço

  2. Oi Luciana, muito legal sua entevista. Pretendo viajar para Jordânia e Israel no início de março do ano que vem. Gostaria de saber se nessa época o frio é muito intenso, ou é um inverno semelhante ao nosso.
    Obrigada

  3. Oi Luciana.. Ja voltastes para o Brasil.?.. Eu estou em Israel ha 6 anos.. Amo este Pais, moro no Norte…. Gostei muito de sua entevista..

  4. A sua matéria está ótima. Parabéns.
    Quando puder acesse o site:
    http://www.brasilnaeuropa.com/
    e tente passar esta maravilhosa experiência de vida para a revista………….se você se interessar em sair na revista, pode dizer que eu te indiquei.

    Boa sorte…………

  5. Muito legal essa matéria. Gostaria de saber qual seria um salário razoável para uma família de brasileiros (um casal e duas filhas de 4 e 10 anos) viverem em Tel Aviv, no padrão de classe média de nosso País.

  6. Gostaria de saber se alguém consegue me dar uma ideia de valor para se passar um tempo em Israel? Quanto custa as coisas basicas como agua,coca-cola,taxi,comida e presentinho para familia…a vida para o turista é cara?

  7. Luciana vc é “o mó barato”
    adorei seu jeito de confessar que é péssima comerciante hahahaha
    Vc parece ser muito gente fina e eu te aplaudiria aqui tbm
    Bjo grande
    E seja muito feliz com sua familia aí

  8. Excelente comentario, eu vivo em Espanha +/- 11 anos sou da Marinha Mercante, nao aguento mais isso aqui, estao trocando Africanos, Asiaticos,etc…por mim, sabes porque?salario de fome. E isso tudo de documentos é pura mentira, apenas politica do capitalismo. Nao sou comunista, porem servi al meu pais na época da ditadura, que tinhamos
    fartura, e ordem no Brasil, Na época era da Marinha de Guerra, sou Judeo por parte de meu Pai, nao consigo trabalho
    aqui por nada do mundo, ontem uma empresa me pediu dinheiro para embarcar. É o fim, nao estou vivendo em Europa de 10 anos atras. Por isso vou para Israel na semana que vem, precisamente Haifa. Hoje em dia nao importa o que sabes, sou Eletricista, Eletronico e Mecanico Chefe de Máquinas. Como vou competir com pessoas que vem ganhar 150€ por mes, abdico de España e de Europa, vou para Israel, e como falta pouco para me aposentar, tenho 3 anos mais de trabalho, aviso a todos os Brasileiros que desejam sair do Brasil. Nao façam a besteira, esperem que nosso pais vai ressurgir, seremos os melhores, eu sinto em meu interior. No começo nao acreditava en nosso presidente, mais agora vejo que tem feito, tripas de coraçao, o Brasil vai melhorar
    tenho fe em Lula da Silva, Por isso esqueçem vir para uma Europa, que a única coisa que vao ganhar sao problemas. Meu problema é isolado como tantos brasileiros que foram para Israel, sei que ali somos tratados como pessoas, nao se esqueçam que Brasil participou na reconstruçao de Israel.
    Primeiro, estude, diploma na mao, e fé em Deus que Brasil
    vai ser a patria mae do mundo. é questao de tempo. Tomara que Lula da Silva continue 4 anos mais.Se eu pudesse mudaria a constituiçao.Como sou apenas um ser humano, deixarei acontecer. Que Deus bendiga ao Brasil.

  9. Luciana, como vai? Vivi tb em Israel, onde trabalhei na minha área Psicologia, sou judia e professora de hebraico, aprendi e tive muita experiencia enquanto morei e trabalhei em Israel…conheço muitos países tb, e atualmente vivo na europa…Luciana é um grande choque voltar para a primitividade do Brasil, parece que não…mas é sim.. é totalmente reverso! Já passei por isso tb, e lendo a sua entrevista não pude deixar de escrever…
    Se quiser deixar um email poderemos nos comunicar, abraços

    1. Estou pensando em ir a Israel… ainda não conheço, mas tem uma grande afinidade pelo país e pelo judaismo. Agora vc disse primitividade do Brasil… será que entendi???

  10. Ahhh, eu também sou de santos!!!! Mas moro em marília, onde faço facul na Unesp!!!! E minha próxima parada é a Holanda! hehehe
    Adorei ler sua entrevista, espero que tenha muita sorte e que o choque de cultura reverso não seja muito grande!!!!

  11. olá luciana adorei sua entrevista!é o meu sonho viver no exterior…mas ainda sou nova tenho17 anos mas eu queria ir o mais rápido possível…faço18esse ano vc acha q devo tentar viver ai na espanha mesmo sem experiência nehuma?
    bjs
    boa sorte

  12. Olá Luciana, tudo bem? Eu tbém sou médica e tenho muita vontade de convalidar o meu diploma no exterior. Voltar para o Brasil vai ser um choque cultural. E toda especialidade que vc fez, não é que vai fazer muita diferença no seu salário. Porém, trabalhando muito se ganha bem, e como a tua área é de procedimento acho que não vai ser tão ruim. Com certeza vc vai ter um choque cultural

  13. Luciana,

    Com certeza sua experiencia no exterior tem sido muito rica ! Israel ainda e’ um lugar cheio de mitos e misterios para muitos. Acabamos recebendo uma versao apenas negativa da midia e fica assim.
    Gostei da expressao “choque cultural reverso”… nunca tinha ouvido antes. E’ o que muitas brasileiras descrevem quando tem de voltar ao Brasil depois de longo tempo no exterior.
    Desejo tudo de bom e que voces possam continuar crescendo e dividindo com todos essas ricas experiencias !

    Um abraco,

    Susana

  14. Luciana, parabéns pela entrevista. Super cheia de informações, especialmente para quem quer estudar em um desses lugares.
    Sucesso é o meu desejo para você!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *