Dentista na Australia

O casamento levou Thaís à Australia. Já vive no país há 13 anos e depois de morar nas cidade se Gold Coast e Cobar, se estabeleceu em Canberra, capital federal. Batalhou e estudou bastante para conseguir validar seu diploma de dentista na Australia, mas tudo valeu a pena!

Vida na Australia

– Nome:
Thais Corby

– Onde nasceu e cresceu?
Cresci em Itirapina, interior de Sao Paulo.

– Em que país e cidade você mora?
Moro em Canberra, Australia.

– Você mora sozinho ou com sua familia?
Moro com minha familia (marido e filhas).

– Há quanto tempo você reside nesse local?
Na Australia estou há 13 anos. Em Canberra há 3 anos e meio, antes morei em Gold Coast e numa cidadezinha no Outback chamada Cobar.

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?

Nao, antes de morar na Australia, morava no Brasil e nunca tinha morado em outro pais.

– Qual sua idade?

Tenho 40 anos, faço 41 em 2 semanas.

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?

Me mudei para a Australia porque me casei com um Australiano.

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?

Por ter vindo com visto de esposa, por mais que fosse um visto temporário na ocasião, o direito de trabalhar era automático. O visto inicial era de 2 anos, após este período, a imigração ia analisar se o casamento ainda continuava, para então decidir se me dava o visto permananente.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?

Quando vim já tinha o direito ao Medicare, que é o direito de usar o serviço publico de saúde. Há 8 anos também tenho plano de saúde privado.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?

Sim, eu e meu marido trabalhamos. Trabalho como dentista aqui na Australia há 9 anos. Tive que passar por um processo longo de revalidação do meu diploma do Brasil. No mesmo dia que saiu o resultado que tinha passado nas provas, eu ja arrumei um emprego.

Até hoje nunca tive dificuldade nenhuma em arrumar trabalho. Isso porque antes de ter meu diploma validado, eu trabalhava como assistente odontológica, então assim que passei eles me deram uma vaga de dentista. Imagino que o primeiro emprego é sempre o mais difécil de arrumar, porque aqui sempre se pede referências, mas como eu ja trabalhava nessa organizaçãoo na época, foi muito fácil porque eles já me conheciam. A partir daí, uma oportunidade levou a outra.

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?

Continuo na mesma profissão, mas quando se muda de país, muitas vezes é necessário dar um passo para trás na vida profissional para depois dar 2 passos para a frente. Foi assim comigo e é assim com a maioria. Demorou 4 anos para eu poder exercer minha profissão.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?

Sim, falo. é essencial falar a lingua local. A menos que voce só fique e só trabalhe com gente que fale a sua lingua materna, o que é difícil e não muito enriquecedor.

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?

Eu amo a Australia. Tenho um respeito enorme por esse país que me acolheu e acolhe tão bem quem aqui vem viver. É um país estável, próspero e fácil de se adaptar. Eu acredito que respeitam sim os brasileiros.

Eu pessoalmente nunca me senti desrespeitada ou em desvantagem alguma pela minha nacionalidade. Geralmente acham exótico, no máximo. Eu acredito que a experiência de muitos expatriados seja semelhante neste sentido. A Australia é um pais de imigrante, então é muito comum e normal ser estrangeiro aqui.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?

Tenho 2 filhas nascidas aqui. A mais velha esta na escola e a mais nova no pre’.

– Sente saudades da família no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?

Sinto muita saudade da minha família no Brasil. Sinto falta da comida, de ter por perto amigos que são da vida inteira.

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?

Tem muita opção do que fazer. Eu sou uma pessoa caseira, adoro ficar em casa, mas levo minhas filhas nos parques públicos, saio para tomar café com minhas amigas, as vezes para jantar. Para quem procura baladas, Canberra não é o melhor lugar. Aqui é bom para famílias.

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?

A princípio pretendo ficar aqui, pelo menos até me aposentar. Gostaria de passar uma parte do ano aqui e outra no Brasil no futuro. Esse é meu plano!!

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imóveis é algo comum nesse país?

Eu comprei a casa que moro. Os imóveis variam de preço, mas giram em torno de $550K-700K em media.

– Qual o custo de vida?

O custo de vida aqui é alto. Não tenho ideia de quanto uma família recém chegada precisaria para viver. Eu ja vivi com muito menos que vivo hoje, mas como minha situação mudou nos últimos anos, não tenho muita noção do quão mínimo daria para viver.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?

Positivos: Pais estável política e economicamente, calmo, muito seguro, próspero, clima bom, povo bom, muita oportunidade.

Negativos: Custo de vida alto, imposto alto, podendo chegar a 46% dependendo da renda. Muito longe de tudo, o que geralmente significa preço alto de passagens aéreas e muitas, muitas horas de voo para chegar em qualquer lugar. AH!, outra coisa, os carrinhos de supermercado não andam em linha reta. É um sufoco tentar equilibrar carrinho cheio!

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?

Façam um planejamento, e estejam preparados financeiramente principalmente se vierem com filhos sem visto de residente, pois o custo é altíssimo para creche e não sendo residente, significa que não tem auxílio nenhum do governo, tendo que pagar tudo do bolso e muitas vezes acaba não compensando trabalhar. Para não residente, escola pública também é paga.

– Se pudesse descrever em uma palavra a experiência que esta vivendo nesse país, qual seria?

Gratificante.

News Reporter
Criou o Bate Papo Pelo Mundo (também conhecido como Entrevistando Expatriados) em 2008 e adora conversar sobre o assunto vida no exterior. Atualmente mora no Canadá, mas também já chamou de casa países como a Holanda, os Estados Unidos e a Australia. Ela também escreve nos blogs Casal Mikix e Viajoteca, e atua como consultora de intercâmbio para o Canadá, junto a Mikix Intercâmbio.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *