Vida nova em Barcelona

Cansadas da violência e do caos brasileiro, Fabia e Gabriela foram em busca de uma vida mais tranquila em Barcelona. Fizeram primeiro uma visita de 7 meses para conhecer melhor a cidade. Decididas que Barcelona era a cidade certa, foram atrás da cidadania italiana e agora vivem felizes ali há pouco mais de um ano.

Brasileiras em Barcelona

– Nome: Fabia Fuzeti

– Onde nasceu e cresceu?

Nasci e cresci em Santo André (SP) e morei 10 anos na capital.

– Em que país e cidade você mora?

Barcelona (Espanha)

– Você mora sozinho ou com sua familia?

Moro com minha esposa

– Há quanto tempo você reside nesse local?

13 meses dessa vez e em 2015 ficamos 7 meses aqui para fazer o test drive rs

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?

2 anos em Londres (2002-2003)

– Qual sua idade?

42

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior? 

Quando visitei Londres pela primeira vez, em 1997, me apaixonei pela cidade e pela vida ali. Voltei pro Brasil pensando em um dia morar em Londres, o que acabou se concretizando 5 anos depois. Fiquei 2 anos lá e resolvi voltar pois sentia falta da família. Na época a comunicação não era tão fácil como é hoje, com Skype e whatsapp.

Em 2104 casei com a Gabi e ela queria ter a experiência de morar fora e curtia muito a Espanha. Resolvemos fazer uma pós graduação em Barcelona e viemos com o visto de estudante de 7 meses. Decidimos que queríamos morar aqui. Voltei pra o Brasil e tirei minha cidadania italiana para poder morar na Europa.

Brasileiras em Barcelona

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho? 

Com o passaporte europeu foi relativamente simples, mas não tanto como eu imaginava. Não é só chegar e morar como a maioria das pessoas pensa. Precisa provar que tem condições financeiras de se sustentar (cerca de 5 mil euros por pessoa).

O visto de cônjuge da Gabi foi mais complicado. Levou 6 meses para sair e tivemos que lidar com muita burocracia. Eles não explicam nada direito e sempre falta alguma coisa que não está na lista de requerimentos, ou não está do jeito que eles querem. E tem a tensão dos prazos, a impossibilidade de trabalhar ou sair da Espanha durante o processo. Relatamos todo o processo e damos as dicas para tirar a TIE nesse link.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?

Um dos requisitos para ter o visto de residência aqui é pagar um seguro saúde. Pagamos 60 euros cada uma. Depois quando se começa a trabalhar aqui e pagar impostos, podemos usar o sistema público. Mas o seguro saúde tem contrato anual. Então mesmo que conseguir emprego logo, será necessário continuar pagando o seguro até o fim do ano. Mas resolvemos continuar pagando o privado, pois as filas do público são longas para consultas e exames. Contratamos o seguro no dia da nossa chegada, no banco, sem burocracias.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida? 

A Gabi tem um emprego fixo, numa agência de turismo e eu me dedico ao blog, edito vídeos para clientes no Brasil, além de fazermos freelas de tradução.

Gabi conseguiu o primeiro emprego pelo Linked-in. O LinkedIn aqui funciona muito bem. Tem também os sites de vagas, como o infojobs e o Indeed. Depois que saíram os papéis dela foi bem rápido. Ela conseguiu esta vaga em 1 mês. Era um trabalho na área de formação dela (audiovisual) numa multinacional. O diferencial foi falar bem inglês. Os espanhóis não falam bem inglês, então para quem fala é uma grande vantagem.

Agora ela mudou para a agência de turismo, pois é um cargo melhor.

Nós escrevemos um post bem completo com 12 dicas para arrumar emprego na Espanha, com os sites, como fazer o cv, quais são os diferenciais que podem ajudar.

Uma coisa que achei bem legal é que outros brasileiros ajudam. Tem um grupo no Facebook de Brasileiros em Barcelona e muita gente posta oportunidades ali. Quem consegue emprego indica outros brasileiros também.

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?

Continuamos na mesma área. Nós tínhamos uma produtora de vídeo no Brasil. Continuo editando vídeos e Gabi foi trabalhar também com isso numa multinacional. A Gabig está na agência de turismo LGBT, que tem tudo a ver com nosso trabalho no blog.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local? 

Aprender a língua local é ESSENCIAL. Em Barcelona é mais complicado pois são duas línguas. O catalão e o espanhol. Então dá um nó na cabeça rs

Eu entendo as duas, falo espanhol razoavelmente (mas ainda com erros e não super fluente). Estamos estudando catalão, já que o nível básico é gratuito e os seguintes são bem baratos. Para muitas vagas precisa saber falar os dois.

Só com castelhano é possível se virar no dia a dia. As pessoas normalmente falam os dois. Mas no supermercado, na rua e em todo lugar tudo está escrito em catalão. E muitas vagas pedem os dois idiomas.

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país? 

A gente ama morar aqui e não nos sentimos excluídas. Barcelona é uma cidade acolhedora. Esse é um dos lemas da cidade. Claro que tem xenófobos, como em todo lugar. Mas nunca passamos por nenhuma situação de discriminação. E aqui vivem muitos estrangeiros do mundo todo. Estão todos acostumados.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?

Não temos filhos

– Sente saudades da família no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades

Esse é o ponto que mais pesa… estar longe da família e dos amigos de toda a vida… Hoje em dia é mais fácil com Skype, whatsapp e redes sociais, mas ainda assim fazem falta. Mas sempre lembramos que mesmo estando em São Paulo, não conseguíamos ver os amigos e familiares com o ritmo louco de vida. Então era só uma ilusão de estar perto das pessoas.

Em Barcelona tem muitos restaurantes e lojas com produtos brasileiros, então podemos acessar quase tudo. A gente sente falta é de abraçar todo mundo, do nosso jeitinho caloroso.

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes? 

Nós vamos à praia no verão, saímos para caminhadas, museus. Tem muitas festas e eventos públicos, nas ruas. Uma coisa que adoramos em Barcelona é que a população toma as ruas. Os velhinhos, as famílias.

Como é seguro, as pessoas estão sempre na rua. O transporte público também é adaptado para as pessoas idosas e com necessidades especiais, além de ser muito bom e barato.

No geral as pessoas vivem mais na ruas e lugares abertos. Isso é muito legal.

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?

Nossa ideia é ficar aqui. Pensamos em passar um tempo na Ásia antes de ter filhos, mas queremos logo comprar um apartamento aqui.

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imóveis é algo comum nesse país? 

Pagamos aluguel. Os preço aumentaram bastante nos últimos 2 anos. Agora pagamos 750 euros por um apartamento de 45 metros quadrados. Mas pensamos em comprar em breve. Os juros são muito baixos, então a prestação do financiamento sai mais barata que o aluguel. Mas temos que juntar o dinheiro da entrada antes.

Um apartamento de 2 quartos no bairro onde moramos custa em média 300 mil euros.

– Qual o custo de vida? 

Nós gastamos 1700 euros por mês, as duas. Isso inclui tudo: nosso aluguel, transporte público, bike pública, alimentação, seguro saúde, academia, celular, internet, eletricidade e água. Não sei quanto seria o gasto de uma família com crianças. Mas pelo menos o ensino público é gratuito e de qualidade.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?

Positivos: segurança, tranquilidade, transporte público bom, qualidade de vida, ensino público de qualidade, oferta cultural e artística por preços acessíveis, possibilidade de viajar pela Europa gastando pouco, temperaturas amenas aqui em Barcelona.

Negativos: distância da família e dos amigos, não ser falante nativo de espanhol.

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país? 

A siesta, quando a maioria dos lugares fecha entre 14h e 17h. E aos domingos a maioria das coisas também fecha, inclusive os shoppings. No mês de agosto, quase tudo fecha para férias também. Impossível resolver coisas nesse mês.

E os horários aqui são diferentes, tudo é mais tarde. As escolas começam às 9h. Horário de almoço é às 14h e a janta depois das 22h.

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?

Estude espanhol antes de vir e assim que chegar comece a aprender catalão. Se vier falando inglês ajuda bastante, já que os espanhóis não costumam falar essa língua.

– Se pudesse descrever em uma palavra a experiência que esta vivendo nesse país, qual seria

Tranquilidade.

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?

No nosso blog, Estrangeira, temos vários posts com dicas para morar aqui, documentação etc

Consulado do Brasil em Barcelona

O site da empresa, Para Inmigrantes tem muita informação que nos ajudou também.

Curso de catalão online: http://www.parla.cat/

 

Leia a história de outros brasileiros na Espanha

News Reporter
Criou o Bate Papo Pelo Mundo (também conhecido como Entrevistando Expatriados) em 2008 e adora conversar sobre o assunto vida no exterior. Atualmente mora no Canadá, mas também já chamou de casa países como a Holanda, os Estados Unidos e a Australia. Ela também escreve nos blogs Casal Mikix e Viajoteca, e atua como consultora de intercâmbio para o Canadá, junto a Mikix Intercâmbio.

1 thought on “Vida nova em Barcelona

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *