Reencarnação no Canadá sem ter morrido…

Nem eu e nem minha mulher estávamos satisfeitos profissionalmente no Brasil. Eu sempre quis morar fora e ao manifestar isso para uma pessoa com que eu trabalhava, descobri que imigração para o Canadá estava aberta, daí saiu a ideia de tentar a vida fora do Brasil.

Brasileiros no Canadá

– Nome: Hesley Tomazetti

– Onde nasceu e cresceu?

Nasci em São Paulo, SP.

– Em que país e cidade você mora?

Moro em Toronto, Canada

– Você mora sozinho ou com sua familia?

Moro com minha esposa

– Há quanto tempo você reside nesse local?

Mudei para o Canada em 2005 e voltei ao Brasil em 2012 e retornei ao Canada em 2016

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?

Não

– Qual sua idade?

58 anos

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior? ]

Quando eu tinha uns 9 anos…hahaha! É que quando eu tinha essa idade, um primo do meu pai que havia mudado para os EUA, veio nos visitar e contou bastante coisas de lá.

Depois, cursei o segundo grau numa escola do SENAI montada e dirigida por suiços e, para quem tinha estudado em escola do estado, parecia que eu saía do Brasil todo dia. Quando eu já estava casado no meu primeiro casamento, solicitei o visto, mas não fui aprovado por falta de verba, eu não tinha o montante requerido.

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho? 

Para conseguir o visto nós fizemos a solicitação no consulado e naquela época, tinha que entregar todos os documentos com a solicitação, o que incluia o resultado do IELTS, que é um teste de fluência em inglês. Por isso tive de fazer o teste antes de fazer a solicitação. A documentação foi em um envelope com uns 4 cm de espessura. Era tanto documento que eu numerei as páginas e fiz um índice.

Depois teve uma entrevista em inglês por telefone, e só então nos aprovaram. A ideia de mudar para o Canadá veio em uma conversa com uma pessoa que trabalhava comigo no fim de julho de 2004. No início de abril de 2005 nós chegamos no Canadá.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?

Na província de Ontário, para imigrantes ou mesmo para canadenses que passaram mais de 7 meses no exterior, há uma período de carência de 3 meses. Nós decidimos não fazer um seguro privado e aguardar o período de carência contando com nossa saúde. Passado esses três meses, passamos a ter a cobertura do seguro saúde provincial.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida? 

Na primeira vez recebemos apoio de uma instituição mantida pelo governo, que incluia curso de inglês, treinamento de entrevistas, como fazer um resume, que é o curriculum daqui, etc. Através desse programa consegui estágio não remunerado de três meses. Quando meu estágio acabou, fui contratado. Isso tudo levou 6 meses.

Não espere que seu diploma vá ser reconhecido facilmente aqui. Apenas certificados internacionais que o pessoal de IT geralmente têm, são imediatamente reconhecidos.

Na segunda vez, em 2016 foi mais complicado. Não conseguia emprego e tive de arrumar diversos empregos de sobrevivência, tipo motorista de entrega, ou trabalhar como estoquista, mas as coisas foram melhorando a cada mudança de emprego, e agora consegui uma posição de gerência.

Nós dois trabalhamos e isso nos dá uma renda para nos mantermos sem margem para extravagâncias.

O custo de vida em Toronto é caro quando comparado com os EUA, por exemplo. principalmente moradia.

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?

Isso é complicado…

Na primeira vez consegui emprego na minha área, sou engenheiro mecânico, me especializei em qualidade, inclusive tirei o CQE (Certified Quality Engineer – Engenheiro de Qualidade Certificado) da America Society for Quality. Neste retorno, eu acabei focando minha busca na área administrativa, pois sou formado em administração de empresas também, e consegui um emprego dentro da área de contabilidade que é muito forte aqui.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?

Na primeira vez, eu já tinha uma boa base de inglês, e fiz apenas 4 aulas com uma professora para passar no IETS, que era um dos requisitos. É fundamental ter um domínio do idioma local para se estabelecer e procurar emprego

Quem muda para um país não é turista e vai ter que resolver problemas e enfrentar situações com pessoas que normalmente não tratam com turistas e não tem a paciência para tentar te entender de quem trata com turistas.

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país? 

No Canadá existe preconceito velado com imigrantes, mais por desconfiança de você estar falando a verdade, e também medo de te ofender, por isso é importante além de saber o idioma, se integrar aos costumes da sociedade que você escolheu para viver.

Embora seja um sociedade ocidental, o comportamento das pessoas no dia-a-dia é muito diferente do Brasileiro, evocê precisa rapidamente aprender e se adaptar a isso. Coisas do tipo respeitar o espaço pessoal, não tocar em pessoas que  mal conhece, não fazer perguntas pessoais sevocê não têm uma amizade de longa data, não constranger colegas de trabalho convidando-os para sua casa sem que realmente haja uma amizade e alguns encontros em campo neutro e outras coisas que para brasileiros é muito diferente.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?

Não tenho filhos que tenham vindo comigo para o Canadá.

– Sente saudades da família no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?

Pastel com caldo de cana…. Bom, na realidade não sinto saudade de quase nada, por que aqui, dada a quantidade de imigrantes, você acha quase qualquer coisa do Brasil ou similar de outras paragens. Sinto saudade da família e é só.

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes? 

Como muitos deixaram a família no Brasil, os amigos mais próximos se tornam uma segunda família e eu tenho alguns amigos que realmente são um segunda família aqui. Tenho mais amigos e uma vida social mais intensa aqui do que no Brasil.

Costumamos nos encontrar nos fins de semana para almoços, jantares, festas em geral, viagens juntos e esse tipo de coisa. Os Canadenses são loucos por churrasco, mas é diferente do Brasil, porém tem umas coisas bem legais que nós aprendemos com eles, como fazer legumes grelhados na churrasqueira, etc.

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre? 

Minha única razão para voltar para o Brasil é se eu tiver que cuidar dos meus pais que estão idosos. Sem isso, não voltaria mais.

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imóveis é algo comum nesse país?

Eu moro em imóvel alugado. Em Toronto, imóveis são muito caros. E o aluguel de um apartamento de um dormitório próximo ao metrô custa de 1.900 a 2.300 dólares canadenses. Comprar imóveis é comum e a venda acontece poucos dias depos de o imóvel estar no mercado.

– Qual o custo de vida?

Contando com aluguel e despesas normais acho que uns 8,5 mil dólares canadenses bruto, que vai dar quase 6 mil líquidos, sem fazer extravagâncias.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?

Pontos positivos são a segurança, a assistência médica universal, a tranquilidade no trânsito que não existe em cidades grandes como São Paulo ou Rio BH e outras, o respeito que todos têm por vc nos serviços públicos e em geral. São muitos fatores positivos que vc percebe morando aqui.

Como negativo, só três: o frio, o fio e o frio. Brincadeirinha…

Acho que o Canadá deveria dar um treinamento para as pessoas entenderem o que se espera delas socialmente aqui, pois pessoas de sociedades completamente diferentes têm certos hábitos que não condizem com o que se espera dentro do ambiente social do Canadá.

Algumas culturas não têm respeito pelos bens dos outros ou nessas culturas é normal certas atitudes grosseiras que não condizem com o comportamento educado e cortez do canadense.

Também, é bastante difícil se desenvolver uma amizade com pessoas daqui, o que pode também em parte ser creditado ao meu comportamento distante, por que eu também não tinha muitos amigos no Brasil. Quase todos meus amigos são brasileiros. Aqui não é o céu, tem defeitos, mas nada que seja muito incomodo.

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país? 

A generosidade e a prestatividade do canadense. Realmente é um povo muito caridoso que se cotiza rapidamente por uma causa e que é prestativo sempre que a oportunidade aparece mesmo no nível pessoal.

Tem até uma brincadeira: “Se alguém te oferecer ajuda numa loja e não for funcionário, você está no Canadá”. Como exemplo, hospitais aqui recebem verdadeiras fortunas em doações e trabalhos voluntários. Não existe desastre no mundo que não receba ajuda significativa do Canadá via governo ou ou via organismos particulares.

– O país que você reside tem alguma coisa que é usado no dia a dia que você acha que seria interessante ser implementado no Brasil? Conte-nos… 

Acho que é o funcionamento das leis. Como exemplo ha alguns anos um coronel da aeronáutica que era o comandante da base do Canadá que conectava o Canadá com as bases do Afeganistão, que tinha sido o piloto da rainha nas visitas oficiais, tinha sido piloto do primeiro ministro do Canadá.

Ele cometeu assassinatos e foi preso, julgado e condenado a 30 anos de prisão sem condicional por 15 anos como qualquer outro criminoso, sem nenhum privilégio, sem 20 diferentes recursos em 4 instâncias, sem prisão domiciliar, sem mais nada e tudo isso no prazo de pouco mais de um ano.

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?

Mudar de país é difícil. São outros costumes, em geral outro idioma, outro clima, e a família e muita coisa fica para trás. Além disso vc tem que fazer algumas coisas novamente, tal como nova carteira de habilitação, e aprender coisas que até as crianças sabem e você não, como tomar ônibus, se localizar pela cidade, etc.

Então, busque se informar o máximo possível com pessoas que moram no local, através de blogs e pesquisa na internet. O Canadá recebe muito bem os imigrantes e há oportunidades, mesmo que você não começe imediatamente na sua área de atuação. O importante é manter o foco e ter paciência por que tudo vai dar certo.

– Se pudesse descrever em uma palavra a experiência que esta vivendo nesse país, qual seria?

Oportunidade

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país? 

O Website do governo do Canadá e os websites das províncias e cidades que houver interesse de imigração, pois todas as províncias e as cidades têm seus websites que são bem informativos.

News Reporter
Criou o Bate Papo Pelo Mundo (também conhecido como Entrevistando Expatriados) em 2008 e adora conversar sobre o assunto vida no exterior. Atualmente mora no Canadá, mas também já chamou de casa países como a Holanda, os Estados Unidos e a Australia. Ela também escreve nos blogs Casal Mikix e Viajoteca, e atua como consultora de intercâmbio para o Canadá, junto a Mikix Intercâmbio.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *